mai
24

Fórum da Família supera expectativas

Postado por: IDI

Nenhum comentário
Na semana de 24 a 26 de maio , o Instituto de Desenvolvimento Integral – IDI realizou o seu Fórum da Família, edição 2011. O auditório da Univille esteve lotado durante as três noites, quando a COMISSÃO PERMANENTE DO FÓRUM DA FAMÍLIA – composta por: Prefeitura Municipal (SEMUS – Marilene Strapassoni e Olga Cristina Pecin, SEMED – Rosemari Cândido, SEMAAS – Valdeci Ropelato), Governo do Estado – (GERED – Maralu Tureck), Hospital e Maternidade Sagrada Família – Nilva Cordeiro, Imprensa falada – Jairson Sabino, OAB – Eda Barbosa, e liderada pelo INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRAL – IDI (Daguimar Nogueira, Liandra Marlize e demais voluntários), apresentaram duas palestras em cada dia do Fórum. A abertura contou com as presenças de autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário de São Bento do Sul, bem como representantes de autoridades do Estado.
Os diretores da Fundação Cultural, Ivana Lampe cantando e Marcio Brosowski ao bandoneon, participaram da abertura apresentado o Hino Nacional Brasileiro. O anfitrião Daguimar Nogueira deu as boas vindas ao público presente e, destacando o tema desta edição 2011 “Construindo Vínculos Saudáveis e Valores Consistentes”, lembrou a importância da família no contexto social. Daguimar emocionou-se ao falar sobre o fato que chocou toda a região, recentemente ocorrido em Campo Alegre, quando uma criança de 1 ano e 4 meses, que vinha sendo torturada pelo padrasto havia algumas semanas, foi a óbito pelo excesso de violência praticado pelo mesmo. Atendendo ao pedido de Daguimar, os presentes prestaram homenagem à memória da pequena Ana Bely Gomes de Freitas fazendo um minuto de silêncio.
Trabalhando voluntariamente, a Comissão se propõe a oportunizar palestras de temas gerais onde possam contribuir à prevenção de situações que infelizmente vêm ocorrendo nos lares brasileiros, mas principalmente nos de nossa cidade e região. A família está se dividindo e terceirizando atribuições que são inerentes a ela; no anseio de buscar um futuro melhor os pais se lançam a jornadas de trabalho que comprometem as suas atividades intrafamiliares.
Palestrante

O psicólogo Carlos Albuquerque, do espaço Transformação de Joinville, levou os presentes a uma reflexão sobre as significativas mudanças que ocorreram na sociedade brasileira.
A transformação da sociedade rural, na qual predominava a família patriarcal e fechada em si mesma para uma sociedade de bases industriais, com as suas implicações de mobilidade social, geográfica e cultural acarretou transformações igualmente marcantes na estrutura do modelo tradicional de família.
Atualmente, porém, a família parece ser mais influenciável do que influente. Foi perdendo a sua capacidade de cuidar da saúde e da educação de seus membros, tornando-se bastante dependente dos profissionais da saúde e da educação.
Já a Psicóloga Aline Pozzolo abordou o tema: Família e a violência sexual contra a criança. A palestra enriqueceu os presentes de forma contundente,   trazendo informações esclarecedoras e abordando dados de pesquisas de mais de 15 fontes diferentes, as quais são unânimes em afirmar que: A média das estimativas aponta para a ocorrência de alguma forma de abuso sexual em 21% das crianças brasileiras ( 25% das meninas e 17% de meninos). A maior parte dos abusos (90%) é cometida por pessoas próximas à vítima e dentro do ambiente familiar.
Alguns sinais e sintomas podem ser apresentados por uma criança quando está exposta a situações de risco: A minoria dos casos de abuso apresenta sinais físicos (40% das denúncias), porém é raro uma criança abusada mostrar-se assintomática, ou seja, sem sintomas psíquicos e comportamentais. Mesmo diante da falta de sinais físicos do abuso, o relato da criança deve ser levado em consideração e devidamente investigado.

Deixe seu comentário: